Geografia Agrária – Parte 1

Olá, boa tarde, meus nerds muito queridos! icon smile Geografia Agrária   Parte 1

O fim de semana está chegando e sei que todo mundo está louco pra dar uma relaxada no ritmo de estudos. Mas o Desconversa não para e visando fechar a semana bem preparamos mais um resumo importante para vocês.

O tema de hoje é a Geografia Agrária. Na primeira parte, falaremos sobre a agricultura tradicional e moderna. Já na segunda parte, falaremos sobre os diferentes tipos de pecuária no Brasil.

E aí, preparados? Então, vamos lá! icon smile Geografia Agrária   Parte 1

- Agricultura Moderna:

A agricultura moderna faz uso de várias tecnologias, como os tratores, colhedeiras, ceifadeiras, adubo, fertilizantes, entre outros.  Além disso, também seleciona sementes modificadas geneticamente. No entanto, a agricultura moderna não se limita ao uso de máquinas; há também uso de biotecnologia.

Essa agricultura moderna se baseia no aumento da sua produção à medida em que ela incrementa tecnologia. Isso nos leva ao importante conceito de produtividade agrícola, que se diferencia do de produtividade industrial. Produtividade agrícola é a relação entre a produção realizada e a área cultivada. Quando falamos de agricultura moderna, podemos aumentar a produtividade sem aumentar a área plantada. O aumento dessa produção sem o acréscimo de área plantada está diretamente relacionada ao uso de tecnologia no campo.

Esse tipo de agricultura é capitalizada, baseada em grandes investimentos, fundamentais para o seu desenvolvimento. Por isso, a forma mais concreta de se falar em agricultura moderna é através dos famosos complexos agroindustriais, nos quais temos uma produção agrícola integrada a uma produção industrial. Existe uma troca constante entre a indústria tecnológica e a indústria agropecuária, na qual a primeira oferece tecnologia e a outra ajuda com capital. Por fim, ainda temos o sistema financeiro, responsável por financiar toda essa cadeia produtiva. Dessa forma, o que chamamos atualmente de agricultura moderna se resume a esses complexos agroindustriais.
-  Agricultura Tradicional:

Ao contrário da agricultura moderna, agricultura tradicional faz uso de métodos ultrapassados e de mão de obra em larga escala. No entanto, há  um caso particular, cujo o uso extenso de mão de obra na agricultura moderna é necessário, que é a fruticultura. Se tivermos uma produção agrícola de fruticultura, moderna ou tradicional, nos dois casos serão empregadas muita mão de obra, uma vez que certas partes dessa produção não podem ser mecanizadas, como, por exemplo, a colheita das frutas.

Outra diferença em relação à agricultura moderna, é que na agricultura tradicional é necessário incorporar terras para aumentar a produção. Então, tal tipo de agricultura é considerada uma agricultura de baixa produtividade e capaz de gerar tantos impactos ambientais quanto a agricultura moderna. A agricultura tradicional é típica dos países em desenvolvimento, o que não significa que não seja praticada também nos países desenvolvidos.  O mesmo ocorre com a agricultura moderna; embora seja praticada mais amplamente nos países desenvolvidos, também é praticada em menor escala em alguns países em desenvolvimento.
*
E aí, descomplicou? Espero que tenham gostado! icon smile Geografia Agrária   Parte 1
Fiquem ligados que em breve postarei a segunda parte, falando sobre os diferentes tipos de pecuária no Brasil.

Até a próxima! icon smile Geografia Agrária   Parte 1

Autor: guilherme

Compartilhar via

3 Comentários

  1. Adorei o texto! Me ajudou bastante! Obrigada! :)

    Post a Reply
  2. ola!!!!! não gostei mesmo nada deste saite este saite nao presta

    Post a Reply
  3. Ajudou muito, sintetizou de forma didática e simples a questão da modernização agrícola e ajudou principalmente a entender sobre a questão dos complexos agroindustriais. Amei o texto!

    Post a Reply

Envie um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>