Redação Pronta

10/11/2011 Carolina

Olá, pessoal!

Hoje trago uma redação pronta, cujo tema é “A Valorização do Corpo Humano”. Essa redação tirou a nota máxima (10,0) no Vestibular de 2005 da UFRJ.

INFINITO ENQUANTO DURAR

No contexto atual, é muito evidente a valorização do corpo humano. Formas físicas perfeitas e descobertas na medicina são constantemente divulgadas pelos meios de comunicação, que bombardeiam a população com essas informações. Ao contrário do que gostam de afirmar aqueles que têm posicionamentos radicais, essa estima não é negativa. Pode ser muito positivo valorizar o corpo, desde que isso venha atrelado ao apreço, também, pelo intelecto e pelo espiritual, pois essas noções se complementam. O problema é que muitos tendem ao exagero, e optam por somente um dos meios, como se fossem, então, excludentes. E a adoração somente ao corpo humano pode, enfim, ser perigosa.

Vive-se a realidade ocidental da cultura de massa, na qual a mídia divulga modelos a serem seguidos de acordo com a ilusão de plenitude proposta pelo consumismo desenfreado. Considerando que o belo é, constantemente, ligado ao caráter positivo da vida e à felicidade, sendo essa idéia vendida por celebridades sempre estonteantes e bem sucedidas, o homem comum busca o mesmo. Entretanto, a valorização do corpo em direção à perfeição física acarreta constantes frustrações com modelos e ideais inatingíveis pela maioria das pessoas. O que deveria trazer felicidade, assim, traz angústia e insatisfação.

Além disso, é importante apontar como esse processo é interessante para o capitalismo. A quantidade de dinheiro gasta com exames e procedimentos cirúrgicos e estéticos é enorme, o que movimenta a economia e gera capital. É notável, no entanto, que em um mundo com profundas desigualdades sociais, somente uma minoria tem acesso a essas possibilidades. Dessa forma, perpetua-se a idéia de que a riqueza está diretamente relacionada à plenitude, pois ela pode bancar a busca e obtenção do corpo perfeito, assim como artifícios caros e valorizados, como roupas, bolsas e acessórios, para enfeitá-lo.

Por fim, é vital perceber que a valorização do corpo humano não se liga somente à idéia de beleza. Vive-se uma era de constantes e profundos avanços em medicina e tecnologia. A busca incessante pela vida longa, e a estimada idéia da eterna juventude, acarretam cada vez mais pesquisas em torno da manutenção do corpo sempre jovem. Isso é importante, também, para que cada cidadão dê conta de viver em um mundo competitivo e atribulado, onde o mercado de trabalho é tão acirrado e falta tempo para o cumprimento de todas as atribuições. É necessário um corpo saudável para que se possa sobreviver ao dia a dia, e a busca da saúde maximiza o apreço pelo corpo humano.

Dessa forma, faz-se imprescindível uma reflexão maior sobre os benefícios e malefícios da valorização do corpo humano. Ao mesmo tempo em que é louvável a procura pelo bem estar, pois uma pessoa saudável é mais feliz, disposta, e pode trazer benefícios à sociedade, é preciso tomar cuidado com o fortalecimento da superficialidade, pois ao valorizar a perfeição do físico em detrimento do espiritual e do mental, incentiva-se a efemeridade leviana. Cabe aos meios educacionais priorizarem a conscientização em direção ao equilíbrio de valores. Não é necessário recriminar a busca da perfeição física, mas é preciso entender a transitoriedade da vida, para aproveitá-la em sua plenitude, juntando estética e saúde, bem estar físico e mental, sem exageros e em prol de um bem maior. O corpo não será imortal, posto que é matéria, mas pode ser infinito enquanto durar.

Carolina

Carolina escreveu 127 artigos

Deixe o seu comentário!

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *